09/11/2013

Too much information

Ia eu toda airosa para mais uma aula de core até que... chego lá. Bastou-me chegar para perceber que a coisa não ia correr bem.

Primeiro sinal: a senhora instrutora diz que vai esperar que toda a gente chegue porque quer dizer coisas. Fiquei logo a pensar: "quer falar? Eu não vim aqui para a ouvir. Atire-me já para o tapete e deixe a conversa para quando não estiver de fato de treino". Claro que não tive remédio e tive de ouvir a senhora dizer que íamos estrear um novo esquema \ coreografia \ rotina \ chamem-o-que-quiserem.

A minha reacção à notícia: "mas nós andávamos sempre a fazer a mesma coisa? A sério? Como é que eu não percebi?". E depois... Depois foi pior. A senhora instrutora apontou para mim e disse: "A ti já te costumo ver por aqui, deves ter menos dificuldade e depois dizes de qual gostas mais". Sinto um foco de luz a apontar para mim (e eu com umas leggins, uma t-shirt rídicula e sem make up. #nãoestavapreparadaparaisto).

Posto isto, a aula começa. Ou devo dizer o meu momento de desastre? Passei mais tempo a perceber o que era a esquerda e a direita do que propriamente a fazer os exercícios. Eu com ar de burro a olhar para um palácio e, ao meu lado, uma miúda (na sua primeira aula) a fazer tudo com uma perna às costas (quase literalmente).

Resultado: senti que não trabalhei nada a não ser as minhas sinapses cerebrais. E com pouco resultado, diga-se. #diadificil




2 comentários:

Anónimo disse...

Usar make up para uma aula no ginásio? Qual é o sentido disso?

Sofia L. disse...

pois, eu não usei, nem uso. mas quando tenho 15 pessoas a olhar para mim tenho pena de não terem inventado ainda uma base anti-água, blush anti-água,... como existe com o rímel. tenho pena,a sério que sim