28/03/2013

Correr com conta-quilómetros

Hoje o dia começou bem cedo e logo com uma corrida. A B. tem mantido uma rotina de treino implacável: dia sim, dia não é dia de ir correr. Só ultimamente a tenho conseguido acompanhar. E hoje veio com o iPhone e uma maravilhosa app: a Nike Running.

Pela primeira vez na vida tive noção de quantos quilómetros corri: chegamos aos cinco km aos 33 minutos. Fiquei super entusiasmada com o resultado! 

Isto tudo para dizer que este mundo tecnológico que mede tudo é giro, giro, giro. Esta app mede a distância percorrida, os km\minuto, o tempo e até as calorias que se perde! Os dados ficam todos registados, por isso dá para ir tentando bater os próprios records.

Isto é uma evolução imensa para mim! Eu que comecei a estabelecer metas como 'uma volta ao estádio' e depois 'uma volta ao estádio um bocadinho'. Depois passei a tentar correr mais tempo - usando um tradicional relógio e finalmente entrar no choque tecnológico das apps. Gostei!


Sobre hoje, importa dizer que os primeiros quilómetros foi tudo muito giro e entusiasmante, mas depois, o esforço para manter o ritmo e os quilómetros que pareciam passar mais devagar... tive de repetir muitas vezes "a dor é sexy!". Foram 6.8 em 45 minutos. Vamos lá ver quanto fazemos da próxima vez.

24/03/2013

Bellycious


Hoje inauguramos um novo espaço: bellycious. Trabalhar os abs para ficar com 'aquela' belly. Este custa mas não exige grandes coisas (e quem não tiver uma bola à mão, pode usar uma bola imaginária).

perfeição é isto


20/03/2013

true story


Todo o dia sentada?

Casey ataca de novo. Desta vez para dizer que passar um dia inteiro sentado à secretária não é natural. Como é irrequieto, não se limitou a constatar o facto e fez uma alteração no estúdio. Para fazer o quê exactamente?

Está aqui:

18/03/2013

Lembrete

Queridas Bootycampers,

Não se esqueçam que estamos no facebook aqui e aceitamos sugestões de posts, imagens, dúvidas, questões, vontades e tudo o que quiserem!

Vocês pedem, nós tratamos!


17/03/2013

A minha playlist para correr

Domingo. 20h. Decido calçar os ténis e ir correr para o Estádio Universitário de Lisboa sozinha. Depois de um fim-de-semana passado sentada a ouvir conferências, precisava de gastar energia. O que eu não sabia é que o sozinha ia ser mesmo.. sozinha. Em todo o tempo que lá estive a correr devo ter-me cruzado com quatro pessoas no total.

O cenário só não foi absolutamente deprimente, porque corro sempre com música para manter o ritmo alto. Tipo isto:

Arcade Fire - Ready to Start
Artic Monkeys - Dancing Shoes
Awolnation - Sail
Bloc Party - Banquet
Buraka ft. Mia - Sound of Kuduro
Dengaz - Eu Consigo
Eminem - Not Afraid
Florence and the Machine - Dog Days are Over e Shake It Out
Franz Ferdinand - Do You Want To
Jessie J - Stand Up
Kanye West - Stronger
Katy Perry - Part of Me
Metastaz - Supah


Aceitam-se de sugestões de mais músicas cheias de power!

PS: espero que não seja muito evidente que não me apeteceu ver o que havia depois do M

resiste e insiste


15/03/2013

Cumplicidades

Temos seis anos de diferença, eu e a minha irmã. Estes seis anos foram, na maior parte das nossas vidas, um abismo imenso feito mais de preocupação, cuidado e atenção do que de partilha. Entretanto crescemos e nos últimos anos, a nossa relação tem-se construído de outros ingredientes: uma partilha total, uma cumplicidade crescente e uma amizade sem barreiras.

A minha irmã sempre me apoiou nesta coisa de correr a partir.. do sofá. Eu ia, perguntava-lhe se queria vir e, invariavelmente, ela ria-se. Mas, desde há um mês, que me vai perguntando quando vou correr e tentamos matchar agendas para irmos juntas.

Esta semana, fomos correr juntas na quarta e na sexta. E só não fomos quinta porque eu não consegui. Por ela não falhávamos nenhum dia! O impressionante é que tem evoluído de cada vez que vamos correr. Já vai quase nos vinte minutos e parece não querer ficar por aqui.

Só não se junta a mim nos abdominais e subir as escadas a pé... mas uma coisa de cada vez.





ninguém disse que era fácil


14/03/2013

A Experiência do Ginásio

Olá olá

Há muito tempo que não dava notícias mas voltei ao activo para vos dar conta das experiênncias no ginásio.

Na próxima semana completo o primeiro mês de ginásio com uma média de três idas ao ginásio por semana intercaladas com umas sessões de jogging ao fim-de-semana.

Nestes dias experimentei vários tipos de aula, com excepção para as aulas de dança e de step que eu sou uma descoordenada motora e não me entendo minimamente com os passos, quando todos vão para a direita eu vou para a esquerda.

De salientar são as aulas de trx - como no video. Digo-vos isto é uma sova de 30 minutos.

Hoje dói-me tudo!!!!!!!!!!!!! Trabalhamos com o peso do corpo - dizem que é o exercicio mais completo!!



Vejam estes 2 minutos e multipliquem por 15 minutos e dá uma aula de meia hora.

Mais, aulas de Stretch, podem pensar que é so miminhos e tipo ioga e alongamentos! Tirem o cavalinho da chuva, saem de lá a suar por todo o lado. Nessas aulas apercebo-me de que não pode ser só correr, nao pode ser só puxar cordas ou pesos ou agachamentos. É preciso trabalhar a bacia puxar o pé direito com a mão esquerda e o inverso e parecemos bailarinas.

É uma sova mental e fisica e esticamos nervos e cenas que nem sabiamos que la estavam, mas estão lá e estão tão perras e paradas que agora que lhes mexemos nos dói tudo. O objectivo é uma espargata!!!!!! GOD save me. Mas hell yeah vou conseguir!

Big kiss and keep up the good work (out)

para quem ainda não começou





e umas dicas para continuar:




13/03/2013

Quer correr. Sabe onde?

O Booty campo, com a ajuda do Onde Lisboa, seleccionou os lugares que mais gosta de usar para gastar os ténis e libertar o stress:


Belém: 5,5 km de pista. Adoramos a vista.



Parque Eduardo VII: 2 km de morrer. Adoramos o desafio



Jamor: 2,7 km - 6,1 km. Adoramos as diversidade



Parque das Nações: 5 km. Adoramos a vista - parte II



Estádio Universitário de Lisboa: 2,7 km. Adoramos a gravilha, o alcatrão, a terra e a lama.


Marginal: só o Paredão do Estoril tem 3km. Adoramos a vista - parte III.

Para além destes nossos lugares preferidos há ainda: Parque da Bela Vista, Parque Urbano Vale do Silêncio, nos Olivais; Mata de Alvalade, o Parque de Monsanto, Jardim da Estrela e a Quinta das Conchas.

E para quem gosta de nadar, o Onde Lisboa também tem uma lista aqui.

ténis que fala

a google anda a preparar surpresas.


story of my life


11/03/2013

sementes e cereais

Não gosto de fazer dieta. Não gosto da sensação de "craving". Por isso, de vez em quando, deixo-me seduzir pelo quadrado de chocolate ou as batatas fritas. Mas no resto dos dias todos, vou ganhando amor a novas comidinhas e snacks saudáveis - e com saudáveis quero dizer com poucas calorias e muito saborosos. Só assim vale a pena.

Descobri as sementes e os cereais e agora estou viciadona:
- linhaça dourada triturada: tem imensa fibra e já não consigo comer iogurte sem lhe juntar umas colherzinhas disto;
- aveia: estranha-se, mas depois entranha-se. Quando já não tenho paciência para cozinhar jantar, gosto de comer iogurte com aveia (tem fibras e proteínas e outras coisas que nunca me lembro) e uma fruta partida ou triturada, como banana ou maçã.
- lentilhas: pouco calóricas e com muito ferro é um óptimo acompanhamento, mas convém juntar muitas especiarias ou coisas que tais para ter algum sabor - só por si não sabem a nada!



tudo pelo booty. tudo pelos abs.




bootylicious cheio de power.

09/03/2013

abs. nike.




abs. nike. abs. nike.

Chuva, chuva, chuva

Foi uma semana muito em muito. Agenda muito cheia, muito trabalho, muita chuva. A juntar isto houve muita caminhada. Como mudámos de escritório, aproveito para vir a pé, ao fim do dia (mesmo com chuva), são 40 minutos para desligar das questões todas de trabalho e entrar em modo 'descanso'. 

Começar a ir a pé de manhã é coisa que nunca há-de acontecer - não sou nada morning person, só saio da cama quando o despertador já tocou cinquentas vezes e não posso adiar mais. Nem pensar em acordar mais cedo para ir a pé.




Hoje não choveu e é sábado por isso era mais que altura de pôr as desculpas de lado e calçar os ténis. Foram 45 minutos, 5 andares de escadas e uma sessão bootylicious. Pena foi não conseguir conciliar a agenda com as outras meninas, mas no próximo fim-de-semana temos de conseguir!


03/03/2013

O dia em que (quase) levei uma 'tareia'

Às vezes é difícil encontrar tempo para tudo. Esta foi uma semana dessas. Depois da corrida de terça-feira, não consegui voltar a calçar os ténis. Por isso, não podia passar de hoje.

O pior (ou melhor, ainda não decidi) foi a companhia. Decidiu armar-se em booty master mal pusémos um pé fora de casa. Nem me deu tempo para assimilar a diferença de temperatura. E depois corre que nem um cavalo. Resultado: tinha acabado de começar e já estava a morrer por todos os lados. E ele dizia-me "são só os primeiros doze minutos, depois o curso habitua-se" e eu ouvia isto e pensava "estás a ensinar a missa ao papa". Só me apetecia apertar-lhe o pescoço, mas nem isso conseguia fazer porque ele ia sempre a correr lá à frente.

Não bastasse isto, deu-me aquela coisa maravilhosa que deve ter um nome científico qualquer, mas que eu conheço por dor de burro. Quando partilho isto ouço um "isso passa. Continua a correr". "Isto passa?   Isto dói!", pensei eu. Mas continuei. Tentei confiar e acreditar que ia passar. A dor é sexy, a dor é sexy, a dor é sexy repeti mentalmente.

E fui correndo, ele sempre muito lá à frente, com uma passada muito mais larga que a minha. Até que ele dá meia volta e, no meio de outras coisas que o meu cérebro não conseguiu processar, ouço qualquer coisa como "eu acho que tu consegues dar mais, mas estás armada em mariquinhas". "Mariquinhas?!", pensei eu. Se tivesse forças que conseguisse canalizar para outro lado que não as minhas pernas, tinha-lhe apertado o pescoço. (e eu não sou a favor da violência). Isto fez crescer um Hulk dentro de mim.

A dor de burro passou, sofri com todas as outras dores - que espero que resulte em igual aumento de sexyness - possíveis, e fui ouvindo os "alarga a passada", "não baixes o ritmo", "ainda vamos dar mais umas voltas ao estádio" como um incentivo.

Foram 45 minutos (em alturas os mais longos da minha vida, noutras que pareciam passar a voar) para me desafiar, para me levar mais longe, para perceber que tenho ainda muito que treinar... Mas foram também 45 minutos muito desafiantes para a minha capacidade de motivação. Mesmo que ele tenha dito, em determinada altura, "nem estou a puxar muito", nunca ninguém me "puxou" tanto... e não foi fácil afastar a vontade de parar, sobretudo depois da marca da meia hora.

Por isso, ter conseguido cumprir (com um sprint no fim!) deixou-me com a sensação de alegria que se deve ter quando se completa uma maratona.

Se calhar foram as endorfinas a tolher a minha capacidade de julgamento, mas, depois de ter sugerido subir os cinco andares a pé (!), acabei a perguntar-lhe quando é que corríamos outra vez.



Isto pedia uma imagem que ilustrasse o "correr que nem um cavalo".