27/09/2013

Bulimia nervosa


Quando me foi diagnosticada a depressão e o distúrbio alimentar eu ainda pensei que pudesse ser bulimia, sem a parte do vómito, das drogas e dos laxantes. Mais tarde a psiquiatra disse-me que o meu problema não era este. Ainda assim, aqui ficam umas coisas sobre a bulimia nervosa.

  • A bulimia associa-se, geralmente, a uma depressão psíquica;
  • o doente tem alturas em que se alimenta em excesso e depois fica-se a sentir culpado;
  • os momentos de ingestão descontrolada de alimentos ocorrem 2 a 3 vezes por semana, durante uns 3 meses;
  • ao mesmo tempo, os doentes adoptam muitas restrições alimentares, mostrando muito medo em não conseguir controlar os ataques de fome;
  • os bulímicos provocam o vómito, usam laxantes, praticam exercício físico de forma exagerada;
  • muitas vezes apresentam sinais de auto-mutilação e, geralmente, recusam a psicoterapia;
  • muitas das pessoas que sofrem de bulimia têm problemas afectivos, de ansiedade e, por vezes, de drogas;
  • são pessoas que sofrem de depressão, alterações de humor, são obcecadas por dietas, têm uma auto-estima condicionada pelo peso, necessitam da aprovação constante dos outros;
  • fisicamente, o bulímico sofre grandes oscilações de peso, apresenta o rosto inchado, sofre de desidratação, garganta irritada, fadiga, dificuldades em dormir, etc.;
  • é uma doença que atinge essencialmente mulheres, particularmente dos 18 aos 40 anos e das classes sociais média-alta e alta.
(Lidon e Silvestre, 2009)

O dia da avaliação

O dia da avaliação ou o dia em que acharam que eu estava a roubar o meu próprio cacifo no ginásio.

Foi como um namoro à janela: eu passava por elas, a caminho dos estúdios das aulas, e ficava sempre a pensar que gostava de as conhecer melhor. Mas deixava sempre para depois: "quando é vou ter tempo para lhes dedicar atenção? Não tenho tempo", pensava eu para arrumar a questão. Até ao dia em que decidi ir à recepção e confessei o meu desejo. "O melhor é pedir uma avaliação".

E foi assim que eu e as máquinas do ginásio travámos o primeiro conhecimento. Não sem antes ser bombardeada com fitas métricas, balanças, índices de coisas, cinquenta mil questões (Fuma? Como é a alimentação? Que exercícios faz? Bebe água? Beba água. Muita.)

A avaliação é um senhor personal trainer a tentar vender os seus serviços e, nos intervalos, pergunta várias coisas, dá conselhos e faz-nos um treino personalizado, de acordo com os objectivos. A partir de tudo isto, estabelece-nos uma rotina (#morricomapalavrarotina) de treino "para os próximos 2 a 3 meses", disse ele.

Eu tinha achado o treino de avaliação extremamente suportável até regressar do banho e tentar abrir o MEU cadeado. Como a coisa estava à altura dos meus olhos tinha de levantar os braços para rodar a chave. Precisei de uma destreza hercúlea e três tentativas (depois de respirar fundo) porque os meus braços estavam demasiado cansados para o esforço de acertar com a chave no buraco e rodar. Quando finalmente alcancei a proeza já estava meio balneário pronto para chamar a segurança.




26/09/2013

Problemas alimentares contemporâneos - anorexia nervosa

Como vocês sabem, hoje em dia há muitos distúrbios associados a comportamentos alimentares. Muitos deles, eu diria mesmo que todos (mas não sou especialista), são consequência de problemas psicológicos.
A maior parte das pessoas conhece a obesidade, a anorexia e a bulimia, mas há mais três igualmente importantes: a compulsão alimentar, a imagem corporal e a ortorexia nervosa. Eu própria sofri de compulsão alimentar e sei que lidar com estas coisas não é nada fácil.

Gostaria - num tom um bocadinho mais sério que foge ao estilo do booty campo -,  nos próximos dias, de vos tentar explicar estes seis distúrbios alimentares, que afectam bastante a nossa sociedade.

Comecemos então pela anorexia nervosa.


  • O doente recusa-se a manter um peso mínimo aceitável e tem um medo mórbido de ganhar peso;
  • implica uma perturbação significativa na auto-percepção da forma e do tamanho do corpo;
  • o doente recusa-se a comer, principalmente em locais públicos, mostra um grande interesse no valor nutritivo de cada alimento, procura isolar-se e demonstra uma preocupação excessiva pelo corpo;
  • atinge essencialmente as classes média e alta;
  • tem causas genéticas, sociais e psicológicas;
  • é uma doença que se manifesta nas dietas rigorosas, jejuns, exercício físico excessivo e, nalguns casos, através de uma ingestão compulsiva dos alimentos seguindo-se a provocação do vómito;
  • sintomas: emagrecimento rápido, cabelos finos e quebradiços, edemas, amenorreia (nas mulheres) e perda de capacidade de erecção nos homens, etc.;
  • as pessoas que sofrem desta doença tendem também mais facilmente a sofrer problemas de desnutrição, problemas cardiovasculares e gastrointestinais. Nos casos em que o vómito é provocado regista-se ainda, entre outros: a erosão do esmalte dentário, a erosão do esófago e pequenas feridas nas costas das mãos.

Nestas situações, o tratamento implica geralmente apoio psiquiátrico, psicoterapia e apoio nutricional.



(fonte: Lidon e Silvestre, 2009)

23/09/2013

Setembro é o novo ano-novo?

Eu já nem me atrevo a dizer que estou-de-volta ou que regressei-finalmente visto que já o fiz aqui e aqui e acabei por ter de interromper as minhas idas ao ginásio. Mas há uma coisa que preciso de partilhar: o que é se passa em Setembro? Há alguma coisa no ar? É altura de fazer resoluções de ano novo fora de tempo? Fazer a 31 de Dezembro já está muito visto, não é? Então vamos ser todos super originais e encher o ginásio da Sofia.

Sim. O meu. Só meu. Todo meu e de mais ninguém. Eu já tinha desconfiado da afluência excessiva nos fins de semana (em que lá consegui dar um salto). Era muito povo, minha gente. Muito povo em todo o lado. Mas depois chego a hoje, uma pacata segunda-feira, e com que cenário me deparo eu? Uma m-u-l-t-i-d-ã-o.

Pior: saio da aula em que fui matar os meus abdominais (tenho este top à minha espera) e ia lançadíssima para uma aula de TRX. Ia... porque não fui. Aula cheia. Sofia do lado de fora. A querer zangar-se com as pessoas todas que decidiram ser saudáveis depois de se andarem a encher de bolas de berlim e gelados e mojitos (eu também fiz isso, mas não interessa nada para a história agora).

Engoli a frustração e fui subir a montanha. Já vos disse que era um maralhal de gente por metro quadrado que nossa senhora? O que vale é que as pessoas estão circunscritas ao espaço da sua bicicleta e não andam a saltar para cima de mim. MAS (eu ainda não podia ter direito a desfrutar da minha matança de calorias sossegada, claro que não), o senhor instrutor decidiu que, de todas as pessoas - tantas, tantas - que estavam na aula, eu devia servir de exemplo. Passou a aula TODA a mandar-me mexer mais, subir mais, pedalar mais rápido, mais, mais, mais. Tive pensamentos homicidas em vários momentos, confesso (depois dos suicidas, que vieram primeiro).  No fim, o senhor disse-me "foi um bom esforço" e eu fiquei em paz comigo (mas continuei irritada com ele e com o povo todo).

Meninas, se Setembro é o mês para mudarem de vida, têm o meu apoio. Se decidiram fazê-lo no meu ginásio, já nem tanto.

Já se decidirem mudar de vida no meu ginásio, em Outubro, tenho já a dizer-vos que sou vossa fã e estou a torcer para vos ver lá todos os dias! Mas só em Outubro e se forem a Amelia.

Será que já estão quase no fim ou ainda tenho de esperar até ao fim do mês?




22/09/2013

Coisas do instagram

A minha rede social preferida é o Instagram. Amo de paixão a coisa. Partilhar fotografias com amigos, seguir desconhecidos que fazem poesia com imagens e, depois, pessoas que, mesmo que nem tirem grandes fotos, têm coisas giras para dizer.

Hoje, o feed do meu Instagram estava particularmente esquizofrénico. Primeiro, o Casey Neistat (de quem já falámos aqui e aqui) correu que nem um louco, durante quase três horas, na preparação da Maratona de Nova Iorque. E penso: que fiz eu? Fui à praia #sentimentosdeculpa.

Até que, avanço um bocadinho mais, aparece-me o lanche do Nuno Markl e penso nas duas maçãs que constituíram o meu #alguémvaiengordalhufarenãosoueu

Pelo sim, pelo não a mala do ginásio já está feita.




19/09/2013

Ressaca

Estou doente, incapaz de me arrastar até ao ginásio ou fazer qualquer atividade física, mas sinto-me a ressacar. Preciso da minha dose de endorfinas! 
Preciso de ver uma data de gente de calções e t-shirt e sentirmo-nos todos confortáveis, como quando estamos em casa de pijama. Preciso daquelas músicas de discoteca que acabam por marcar o ritmo (rápido), o resto do dia. Preciso de sair a pingar da aula e entrar no balneário com a sensação que não há nem mais uma gota de suor no meu corpo. Preciso de tomar banho num cubículo! Que me deem ordens e incentivos. Venham dizer-me para não desistir e eu aguento uma prancha três minutos, se for preciso. De lado!

Preciso disto tudo até porque, com 25 anos, dou por mim a pensar se devia comprar um creme anti-rugas. E, pelo que diz esta notícia do Público, o desporto reverte o envelhecimento. É certo que este estudo foi feito com i) homens, ii) com idade média de 61 anos, iii) tinham cancro da próstata - coisas que, me parece, não me acontecerão nesta vida. Salvo os 61 - pode ser que lá chegue. 

Imaginando que o desporto só faz bem, pode ser que consiga adiar a compra dos cremes anti-rugas mais uns anos. Por isso: corpo, pára de te sentir mole; cabeça, pára de doer; nariz, deixa de pingar que eu tenho de ir ao ginásio!

15/09/2013

Coisas de Homens?

A Guinness, que tem sido exímia em fazer anúncios que tocam no coração-pedra dos homens, parece ter conseguido fazê-lo outra vez.

E se isto acaba com tudo a beber cerveja, pelo meio há uma mensagem fofinha de coragem, força, persistência e motivação. Se ainda não viram, aqui está:


Gataria on the making

Uma ida às compras pode correr extremamente bem ou... extremamente mal. Sabem aqueles dias em que nada fica bem? Em que tudo nos faz parecer um pote andante e nos faz sentir como se nos tivéssemos transformado numa texugona? Eu sei o que é isso.

Felizmente, hoje não foi um desses dias. Esta pessoa que têm perante vós, que já chegou a vestir o 42, parece que agora é um 36. How cool is that? Very cool. E é bom que os chocolates se mantenham onde estão. Que apodreçam, de preferência. Ou que alguém os coma. Candidatos?

Com esta concretização (as calças são mesmo um arraso #convencidona), achei que podia ir ainda mais além. E que ideia maravilhosa tive eu? Comprei um crop top. E o que é acontece ali? Para já, muita barriga. O que tem de passar a acontecer? Abdominais. Quando é que isso vai acontecer? Boa pergunta, mas o importante é que esta é a minha nova peça-motivação. Quando me apetecer desistir de fazer uma prancha, vou lembrar-me daquela-coisa-linda-pendurada-no-cabide e aguentar.

Afinal porque é que uma pessoa come bem e vai ao ginásio e resiste e insiste? Para se sentir bem consigo e ir fazendo as pazes com todas aquelas coisas que não gostamos tanto em nós. Há gataria on the making no Booty Campo (e arredores - posso garantir que há mais gatas muito gatas neste pedaço #tenhoasamigasmaisbouas).


E, claro, hoje (sábado) houve ginásio madrugador, mas acabou com um episódio um bocadinho triste, como a Bárbara explica no Overcome. Mas já está tudo em franca recuperação, pelo que sei.

14/09/2013

Primeira corrida TSF Runners

O que começou na rádio, chega agora às ruas: o programa TSF Runners organiza uma corrida. A prova é em Lisboa, no Terreiro do Paço, dia 26 de Outubro, às 17h. E, apressa-se a organização a explicar, também vale fazer a prova a caminhar, tanto a dos 5 como a de 10 km - para que ninguém fique de fora.

Em cada inscrição, reverterá um euro para os Bombeiros Voluntários.

Prova de 10 km:
- primeiras mil inscrições: 9 euros
- entre a inscrição 1001 e 3000: 11 euros
- a partir da inscrição 3001: 15 euros

Prova de 5 km:
- primeiras mil inscrições: 6 euros
- entre a inscrição 1001 e 3000: 7 euros
- a partir da inscrição 3001: 10 euros

As inscrições são em tsf.pt no link do lado direito.


13/09/2013

Eu fui!

Com o Ryan Gosling a torcer por mim, lá fui eu à aula de bunda. Morri de morta matada de cansaço das pernas. Mas como era um regresso depois de dias (semanas?) de preguiça já se esperava que me sentisse assim, não é? É.

Por isso, uma aula só era pouca coisa, então ainda encontrei forças para subir a montanha. Em graaande esforço, é certo. Os pedais pareciam sempre pesar uma tonelada. Mas fiz a segunda aula t-o-d-a. Aguentei. E estou aqui inteira e a resistir a todas as coisas com chocolate que estão ali pela dispensa e pelo frigorífico. Hoje não estou para vocês, doces!


O poder dos batidos

Aqui há uns tempos, a Bárbara do Overcome Every day pediu-nos, via Facebook, para escrevermos qualquer coisa sobre batidos. Fomos pesquisar e a verdade é que, pelo menos eu, estou muito tentada a render-me a estas bebidas cheias de benefícios!


Os batidos são feitos em casa, com alimentos verdadeiros, o que, só por si já é uma mais valia, uma vez que:
a) é comida a sério, logo fornece os nutrientes que muitas dessas bebidas que se vendem aí não têm;
b) podemos controlar a qualidade e a quantidade dos ingredientes;
c) sai muito mais barato fazer um batido em casa do que andar por aí a comprar porcarias que prometem mundos e fundos e no fim são só químicos que não fazem mais nada a não ser emagrecer a carteira.
d) fazem-se num instante

Feitos à base de frutos, legumes, vegetais e leite ou iogurte, podem levar aquilo que quisermos. Podemos usar qualquer coisa que tenhamos no frigorífico et voilá! num instante temos na mão uma bebida altamente nutritiva e hidratante.

Agora, o que vocês querem saber: benefícios (gerais) dos batidos:

  • São altamente hidratantes;
  • Fornecem, nutrientes, vitaminas e fibras. Tudo natural.
  • Dão-nos muita frutose, o «açúcar das frutas», fornencendo energia e substituindo o açúcar tradicional. É também considerada um inibidor da fome;
  • São óptimos para fortalecer o sistema imunitário, tornando-nos mais resistentes a doenças;
  • O leite usado dá-nos cálcio;
  • É uma forma óptima de incluirmos vegetais na nossa alimentação, sem aquela sensação do «oh não, outra vez brócolos!»;
  • São fáceis de digerir;
  • Estão cheios de antioxidantes;
  • Fornecem energia;
  • Ajudam a um pele mais saudável;
  • Reduzem os desejos por fast food e doces;
  • Os chamados green smoothies são óptimos para quem quer fazer uma dieta de emagrecimento. Estes são batidos feitos, geralmente, à base de verduras como espinafres, cenoura, etc. e contêm todos os benefícios acima referidos, mas ainda com menos calorias;
  • São óptimos para beber antes de se fazer exercício físico.

Mas atenção! Os batidos depressa se podem transformar numa coisa altamente calórica e cheia de açúcar, quando são usados iogurtes, gelados, sorvetes açucarados.

Há centenas de receitas de batidos saudáveis na internet. Basta fazer uma pesquisa no google e escolher. 




o booty campo agora tem separadores

Basta clicarem nos separadores, logo por baixo do cabeçalho, para irem direitos às categorias que vos interessam mais.

Esperamos que vos agrade!

Motivação para hoje

Já vos disse que a dor é sexy? Tão tão sexy. Fica a motivação para o dia de exercício que se prepara:

Regresso de férias: motivação procura-se

O regresso à vida de todos os dias e a Lisboa, este ano, está a ser menos entusiasmado que o habitual. Deve ser sinal que as férias foram particularmente boas e bem vividas.

A desvantagem destas coisas todas é a força anímica para ir ao ginásio e por aí fora estar baixinha. E vem acompanhada de cravings por chocolate (obrigada Milka Lu por exisitires. Seria melhor se existisses em versão mini, ainda assim).

Esperamos que amanhã haja mais capacidade para lutar contra este desânimo e trazer-vos relatos mais animados de idas ao ginásio e de uma vida (onde se tenta ser) saudável.

 

12/09/2013

A Amadora faz anos

A Amadora é município há 34 anos e as comemorações vão meter muito.. exercício físico. A "Festa do Desporto" é dia 22 de Setembro. Vai haver corridas, passeios de bicicleta, caminhadas... tudo sujeito a inscrição prévia e gratuito.

Se são das redondezas e querem por-se a mexer não percam a oportunidade:

- Légua "Cidade da Amadora": corrida de 5 km, às 9h30, no Parque Central.
Inscrições em desporto.juventude@cm-amadora.pt ou 214 369 052

- Volta dos Parques em Bicicleta: é um bici paper (lembram-se dos peddy paper?) entre as 10h e as 12h
Inscrições em geral@gcestrelasdaamadora.com

- Caminhada Solidária da Amadora: marcha a partir das 9h30
Inscrições: desporto.juventude@cm-amadora.pt ou 214 369 053 mas com implica pagamento de 2 euros

- Animação desportiva: no Parque Central (parece que todos os caminhos vão aqui dar) com basket, futebol, ténis, jogos tradicionais, etc. Entre as 15h e as 19h
Inscrições: desporto.juventude@cm-amadora.ptou 214 369 052


O prato da alimentação saudável

É assim que os nossos pratos devem estar organizados nas refeições:



  • 1/2 vegetais e verduras (bróculos, alface, espinafres, couves de bruxelas, tomates, cenouras, ervilhas, macedónia, etc.)
  • 1/4 hidratos de carbono e/ou leguminosas (arroz, massa, grão, feijão, lentilhas, etc.)
  • 1/4 proteína (carne, peixe, ovos, etc.)
Isto proporciona uma alimentação rica e equilibrada. Os vegetais e verduras são alimentos nutritivos e cheios de vitaminas sem, no entanto terem muitas calorias. Os hidratos de carbono, além de ricos em fibra, deixam-nos saciados, e as proteínas dão-nos energia, ajudam no crescimento muscular e melhoram o sistema imunitário

08/09/2013

Pequenas mudanças que ajudam a perder peso

Coisas simples do nosso dia, que podemos ir substituindo. e os resultados ao fim de um ano:


  • Se em vez de usarmos o elevador ou as escadas rolantes, subirmos escadas por dois minutos, podemos perder até 1kg por ano.
  • Se substituirmos uma colher de sopa de maionese por mostarda, digamos, 3 vezes por semana, podemos perder quase 2kg por ano.
  • Se uma vez por semana pedirmos uma dose de batatas fritas pequenas em vez das grandes, são 2,27 kg por ano.
  • Se em vez de ficarmos esparramadas no sofá o tempo inteiro, fizermos meia hora de trabalhos domésticos, todos os dias, são outros 2kg por ano.
  • Se substituirmos o leite gordo e meio-gordo por leite magro, são até 2,73 kg.
  • Se, quando saímos à noite, em vez de pedir duas bebidas e ficar feitas parvas ao balcão durante uma hora, pedirmos só uma e dançarmos durante uma hora, uma vez por semana, são outros 2,73 kg por ano.
  • Se deixássemos o metro, os autocarros, o carro e andássemos a bom ritmo durante 20 minutos, todos os dias, seriam mais de 3kg por ano.
  • Se em vez do Snickers, Mars e Twix, comêssemos antes uma peça de fruta, duas vezes por semana, 3,18 kg por ano.
  • Se em vez do refrigerante diário habitual bebêssemos antes um copo de água, 6,80 kg por ano.

Vale a pena substituir alguns hábitos, não vale?

(isto são valores aproximados e médios, os resultados dependem consoante a pessoa e o seu estilo de vida)


05/09/2013

Chegou a altura de Viseu se pôr a correr

Vamos descentralizar outra vez! Desta vez, a cidade chamada à recepção é Viseu. Há corrida (mini e meia maratona e caminhada) no dia 8 de Setembro, é já este domingo.

Todas as informações aqui:


04/09/2013

beat it


Afinal parece que ainda não é desta

Quando pensava que estava de volta de vez, kabum! Surpresa! Afinal o meu regresso a Lisboa foi só uma paragem para repor energias. Tive de voltar a deixar a cidade por mais uma semana. Ontem à noite fiz-me à estrada, com os ténis para correr na bagagem. Será que consigo usá-los?



Ginásio, vou ter saudades tuas. O meu corpo começava a habituar-se outra vez. Snif.

03/09/2013

Oh Barbie, isto não é uma aula de ballet!

Lembram-se da senhora instrutora nazi? Esta aqui? Eu jurei que nunca mais entraria numa aula onde ela estivesse presente. Até hoje.

A aventura que nos leva a este momento é longa, mas digamos apenas que estava cá uma amiga minha que adora fazer exercício e nunca tinha visto um TRX na vida. Por coincidência, o dia em que tínhamos disponibilidade para ir ao ginásio era o que tinha uma aula nova de TRX: 50 minutos.

Eu não consigo descrever o pânico e a surpresa quando percebo que a senhora instrutora era aquela nazi. A mesma que tinha passado uma aula inteira (de meia hora, vá lá) a tratar-me por princesa.

A aula começa e eu já me sinto acabada. E a coisa foi sempre a descer, a partir daí. Só para terem uma ideia, durante os exercícios, eu ficava ansiosamente à espera do momento em que a senhora dissesse "e agora agachamentos!". Quando o descanso é fazer agachamentos... dá para ter uma ideia do nível de sofrimento. E, claro, o meu sofrimento não podia passar em claro, por isso passei de princesa a barbie com mimos destes:

"Oh Barbie, isto não é uma aula de ballet!".

Noutro contexto era capaz de pedir esclarecimentos adicionais sobre a relação da Barbie com o ballet, mas neste caso achei melhor não questionar.

Mas sabem o que é extraordinário? Apesar de renegar qualquer forma de masoquismo na minha vida, acho que começo a render-me a esta senhora instrutora nazi. Ela puxa mesmo por nós, faz-nos correr aquela "extra mile" e afinal não é por isso que fazemos exercício físico? Para nos superarmos? Por isso, está decidido: serei uma barbie ao seu serviço!