25/06/2013

Entrevista a Carol: do remo à nutrição

Praticante de remo e crossfit, estudante de nutrição e blogger. Carol, 29 anos, é a voz e o corpo por trás do Fácil é Falar. Um blog criado há cinco anos, para encurtar a distância com os amigos e a família, que uma mudança de cidade impôs. Hoje reconhece que o blog é mais um espaço para "descarregar pensamentos" e que lhe deu espaço para conhecer gente nova. O pior mesmo foi uma stalker que por lá apareceu. O Booty Campo foi saber mais sobre a sua ligação com o exercício físico  e até trouxemos dicas para aqueles dias em que só apetece ficar no sofá.




Como é que surge o gosto pelo desporto na tua vida? Porque não te limitas a praticar, também és entusiasta de algumas modalidades, como o remo.
Sempre me lembro de praticar desporto, foi algo que os meus pais sempre fizeram questão. E a bem dizer, eu devia ser uma criança muito enérgica, assim chegava a casa mais cansada e menos implicativa... e isto ainda é verdade nos dias que correm!  Sou também um bocadinho mais entusiasta que o "normal" não só porque a modalidade que pratico proporciona experiências únicas mas também porque tenho um namorado que é atleta e consegue coisas maravilhosas.Vejo-o todos os dias a lutar para ser melhor, para chegar mais alto. E isso também é inspirador, a falta de divulgação que existe nos media peca. Eu faço a minha parte. E depois não é todos os dias que se convive com um atleta olímpico da modalidade que mais gostamos!

Agora temos mesmo de perguntar: quem é o teu namorado?
É atleta de remo, chama-se Nuno Mendes. Por norma, e tal como aconteceu nos dois últimos Jogos Olímpicos,  rema com o Pedro Fraga - que apareceu nas notícias no fim de semana por ter ganho ouro numa Taça do Mundo - este ano é que estão a remar separados, mas depois juntam-se de novo.

 A opção pelo curso de nutrição. Como se explica?
A nutrição chega mais tarde, depois de um primeiro curso [de gestão] que gostei muito de fazer mas, assim que comecei a trabalhar, percebi que não ia ser feliz, parei para pensar na vida, dei algumas voltas e assumi para mim que era saúde, algo que sabia já desde bem cedo, mas que sempre fugi porque não gostava de química no liceu... a vida é madrasta e comigo não falha uma! Foi assim que me aventurei num segundo curso, pondo muita coisa em standby, mas com o objectvivo de lutar por algo maior e melhor. 
Que modalidades preferes praticar? Porquê?
Adoro remar, é um vício que se entranhou em mim! Adoro o ar livre e o facto de ser na água. Hoje em dia adoro correr, coisa que cheguei mesmo a odiar. E estou a descobrir um novo desafio, o crossfit. Desafia-me de uma forma muito positiva. Ensina a ouvir o corpo, a quebrar barreiras, a querer ir mais além. Desenvolve força e resistência.  

Porquê? 
Porque a sensação de nos vencermos a nós mesmos também é óptima. Chegar cansada ao fim do treino é a melhor parte do dia.
 
O que fazes naqueles dias em que só apetece ficar no sofá? Como combates a preguiça?
Não sei se é a melhor táctica, mas dou-me cinco minutos para estar no sofá (contados!). Depois calço os ténis e saio de casa, obrigo-me, sei que, no fim, vou ficar irritada se não tiver ido. Há que dizer também que eu treino em equipa, sinto uma responsabilidade acrescida, se eu não for treinar, não sou só eu que fico prejudicada, a minha equipa também. Ou ligo a uma amiga de longa data que é uma inspiração para mim e digo-lhe o quanto não me apetece, ela ri-se e eu já sei o que fazer.
Tens algum segredo para manter a motivação em praticar exercício?
Grande parte do ano tenho regatas e portanto a motivação é ganhar, mas também combino trails e actividades de fim-de-semana e assim tenho que me manter em forma mesmo em férias para me desafiar, para acompanhar quem vai comigo, etc.  Outra razão, menos competitiva (e isto vai parecer conversa fiada) é gostarmos de nós e de nos divertirmos. O nosso corpo agradece cada corrida, cada passeio de bicicleta, cada aventura que lhe damos. Não há melhor para repor energias, sozinha ou acompanhada, combater pensamentos mais deprimentes que às vezes nos surgem (e aqui tem que ser a parte racional a falar mais alto) ou queimar aquele pacote de bolachas que não tinha como não ser comido. 

Para quem quer começar agora a trabalhar para "aquele booty" tens algum conselho?
Persistência, ele não vai aparecer numa semana, mas não há nada como começar a trabalhar para aparecer. Corrida e agachamento completo (full squat). E mais importante que praticar desporto é a alimentação, um sem o outro não vai funcionar!


por Sofia L. e Amelia

1 comentário:

pastora disse...

OH CAROL, tens um namorado pouco jeitoso, tens...!